domingo, 19 de janeiro de 2014

Zumbis em Brasília (part 1)


  “A melhor arma contra um inimigo é outro inimigo.”  Friedrich Nietzsche

     Quem poderia imaginar que os zumbis chegariam ao Brasil, no começo ninguém ligou e muitos ainda não entenderam, afinal era Brasília, outros países buscavam explicações e outros diziam que era só uma campanha de marketing para um programa de TV.

     Brasília inteira foi destruída, será que foi um ato terrorista de quem não aguentava mais tanta desgraça e resolveu fazer algo com as próprias mãos, esse alguém poderia ter sido eu, poderia ter sido você ou qualquer, mas eu tenho certeza de que foi você, pois se fosse eu não estaria aqui para lhes conta como a humanidade foi dizimada.

21 de dezembro de 2019.
    
     Brasil ainda era Penta, o que eu lembro é que perdeu para Argentina nas semifinais e o povo estava cada vez mais sendo enganados, vivendo em conto de fadas e sem percebe estávamos sendo definitivamente controlados pelo governo vivendo em comunismo deformado onde o governo nós dá o suficiente para sobreviver e votar nas próximas eleições.
    
      Mas venho aqui lhes contar como tudo começou, o governo em segredo estava desenvolvendo uma droga que tirava das pessoas a vontade opinar ou talvez até a capacidade de pensar por si sós e ela já vinha sendo testada aos poucos e o que muitos não iriam imaginar a maneira que era transmitida, pela televisão.

     Assim como todo mundo eu já estava sendo afetado, quem vai saber se daqui a 10 ou 2 anos eu já não serei um Zumbi também, essa palavra aqui eu tirei de alguns filmes que eu assistia na minha adolescência, mas por incrível que parece existiu pessoas que ficavam daquele jeito na frente da TV, em vez de dizerem, carne, carne, carne, diziam TV, TV, TV.

     Mas algo tinha que acontecer, assim como acontece nestes filmes de Zumbi está droga estava sofrendo mutações e ficando cada vez mais parecida com a droga da TV, mas quem sabe está droga nunca teria sido transmitido pela TV, e isso de Zumbis dizendo, TV, TV, TV, seja coisa de radicais.

"A arte de ser louco é jamais cometer a loucura de ser um sujeito normal."
Raul Seixas
Postar um comentário